Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros

Essa semana teve a hhistória do Jurasic World . Como o primeiro é de 2015, resolvi fazer aquele resumo pra te lembrar da história antes de ver o segundo.

Lembrando que esse post tem alguns spoilers, então se você ainda não viu corre lá! Vamos?

Em Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros acomanhamos vários núcleos que meio que tem a personagem Claire como algo em comum. Ela é a gerente de operações do Jurassic World junto com Dr Henry Wu. Ele criou um dinossauro geneticamente modificado. Aí tem os dois sobinhos dela que foram conhecer o parque e acabaram ficando soltos no meio dos dinossauros. Por último, temos o Owen Grady, treinador dos dinossauros e que teve um alguma coisa com a Claire.

Aí o tal do dinossauro escapou do cativeiro por ser muito grande e forte e poderoso e aí desencadeou uma série de problemas. Ela – o dinossauro é fêmera – derruba tudo que é cerca, solta os dinossauros e morde uma galera.

O filme é meio que uma continuação dos filmes de 1993, 1997 e 2001. O parque de Jurassic World foi construído na mesma ilha de Jurassic Park. E o cientista que faz a dinossaura nova é o mesmo de antigamente também. E isso gera vários easter eggs interessantes.

A história em si é muito legal. As cenas de história e desenvolvimento de personagem ficaram muito bem intercaladas com as de dinossauros correndo e matando todo mundo. A parte qe me incomoda é que tiveram várias decisões ruins dos personagens que faz eles parecerem meio burros. Sabendo que ele se passa no mesmo universo dos filmes anteriores, dá uma preguiça enorme de ver as pessoas cometendo exatamente os mesmos erros que os cientistas do parque anterior.

A qualidade dos efeitos dos dinossauros e das cenas de interação entre eles e os humanos são bem legais. O Owen tem lá seus raptors de estimação e é legal ver ele treinando eles mesmo sabendo que é falso. Outra cena super legal é a que mostra um dinossauro aquático gigante numa vibe meio Sea World e é muito legal.

E um filmes desses de ir assistir com a família sem muitas pretenções, então eu também não quis cobrar dele incríveis profundidades dramáticas. E funciona. Vale lembrar que poderiam ter explorado muito melhor a personagem da Claire, mas nada me deixou lá muito incomodada.

 

Comente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s